Programa Mãos Amigas integra mais mulheres para prestação de serviços nas escolas da rede estadual 03/10/2023 - 13:25

Perto de completar onze anos, o programa Mãos Amigas é desenvolvido pelo Governo do Estado por meio de uma parceria entre o ParanáEducação, o Instituto de Desenvolvimento Educacional (Fundepar), as secretaria da Educação e da Segurança Pública e a Polícia Penal do Paraná. Por meio da transformação dos ambientes escolares, o programa une a ressocialização à restauração, reinserindo os apenados em regime semiaberto harmonizado como participantes ativos da sociedade, por meio da realização de serviços de manutenção, conservação e reparo de instalações.

Em 2023, até este mês, o programa atuou em 522 colégios, sendo 22 deles na Capital atendidos pela equipe feminina, e para celebrar o aniversário do programa (que acontece no mês de outubro), a equipe feminina recebeu novas integrantes, por meio do convênio com o Núcleo de Atendimento à Pessoa com Monitoração Eletrônica (Nupem). Composta por cinco mulheres em monitoração eletrônica, o time já “botou a mão na massa”, realizando serviços de limpeza em escolas da rede estadual de ensino, em Curitiba.

“Componente fundamental para a reintegração bem-sucedida dos presos, este trabalho também vem a colaborar de forma importante com a sociedade por meio dos serviços prestados às escolas. Sem dúvida, estes serviços contribuem muito para o funcionamento ainda melhor do espaço escolar”, destaca o secretário de estado da educação, Roni Miranda.

Para o Superintendente do ParanáEducação (PREDUC), Carlos Tamura, o programa é um exemplo da cooperação e da oportunidade real de reintegração. "Estamos construindo um futuro mais humano e inclusivo, onde cada indivíduo tem o potencial de se tornar um agente de mudança positiva em nossa sociedade", ressalta.

O PROGRAMA MÃOS AMIGAS - Possibilitando a redução de 50% nos orçamentos de reparos e manutenções dos prédios escolares, a mão de obra desempenhada pelas equipes do programa garante aos participantes do sexo masculino o recebimento de 75% do salário mínimo, além da redução de pena de um dia a cada três trabalhados. Já as trabalhadoras do sexo feminino são remuneradas com um salário mínimo e vale transporte e recebem refeição. As equipes masculinas são transportadas, pelos veículos do programa Mãos Amigas, das unidades penais para as instituições de ensino, e recebem alimentação para o dia de trabalho.

Atualmente, o programa integra 105 apenados em 17 equipes de 10 Núcleos Regionais de Educação (NRE) dentro do programa. A previsão é de novos convênios com mais quatro NREs nos próximos meses, o que aumentará o número de equipes para 22. Além disso, também está prevista a expansão para a utilização de apenados de mais unidades prisionais do Estado, o que aumentará o número de equipes femininas.

 

GALERIA DE IMAGENS